Blog / 

Rodrigo Constantino
Rodrigo Constantino

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Sem categoria

A miopia de Levy ao encarar mais impostos como um "investimento"

Fonte: GLOBO

Levy

Joaquim Levy acha que o povo brasileiro está sendo míope ao não enxergar o aumento de impostos proposto por ele como um “investimento”:

“Você faz um pequeno investimento, admite pagar um pouco mais de imposto para que a economia não tenha tropeço. Talvez você tenha que pagar um pouquinho mais de imposto. A sociedade paga 0,5% a mais, mas o PIB cresce 0,5%, então, vale a pena, é um investimento. A gente não deve ser vítima de miopia nos impostos”. disse ele, acrescentando:

— Temos que garantir que o Brasil seja um país seguro. A solidez fiscal é a base do nosso crescimento.

A solidez fiscal é, sem dúvida, importante. Mas o ministro ignora um “pequeno detalhe”: ela pode ser obtida tanto cortando gastos como subindo a receita com mais impostos. No limite, se o governo arrecadar 100% do que é produzido pela iniciativa privada (socialismo) e limitar seus gastos a esse montante, haverá solidez fiscal, mas só alguém que não entende absolutamente nada de economia poderia alegar que isso seria positivo para o crescimento econômico.

Levy parece ter a mente de um tecnocrata bastante limitado, que enxerga apenas planilhas na frente. Como precisa entregar um superávit fiscal, e como percebeu que é muito difícil cortar gastos públicos, ainda mais num governo esquerdista, ele conclui que só resta aumentar a tributação. E míope somos nós, que não aguentamos mais o fardo das trapalhadas e roubalheira do governo!

Basta comparar a situação com a de uma empresa falimentar para ver o absurdo da fala do ministro. Imaginem uma empresa que só fez besteira, que foi incompetente, que foi vítima de um enorme esquema de desvio de recursos, virar para seus acionistas e convocá-los a aportar mais capital no empreendimento: “Não sejam míopes, um pouco mais de investimento e tudo ficará bem”, diria o CEO Levy. Qual seria a reação do Conselho de Administração da empresa?

A demissão do CEO, claro! Ora, e que tal cortar gastos ineficientes nessa empresa? Que tal sanar os desvios de recursos antes de pedir mais dinheiro nosso? Que tal mandar gente encostada embora? Que tal entregar melhores resultados com toda a montanha de dinheiro que já foi colocada na empresa? Depois disso tudo – e somente depois disso tudo – você pode vir falar em mais investimento!

Levy acha mesmo que tirar mais recursos da iniciativa privada e colocá-los no estado será positivo para o crescimento? É a típica cabeça de tecnocrata mesmo, que pensa na credibilidade do número mágico – o superávit fiscal – e ignora como ele foi atingido: no caso, drenando mais recursos do setor produtivo, já em frangalhos, e os colocando na mão de um governo perdulário, incompetente e corrupto. Gênio!

Não, ministro, a miopia não é dos que não suportam mais pagar tanto imposto a fundo perdido. A verdadeira miopia é do tecnocrata vaidoso que aceitou se meter numa enroscada ao lado de desenvolvimentistas safados ou ideologicamente equivocados, e ao perceber que não vai ter como fazer a coisa certa, que é reduzir drasticamente os gastos públicos, resolveu fazer coro com os tarados que só pensam em avançar mais sobre nossos bolsos!

Rodrigo Constantino

Sobre / 

Rodrigo Constantino
Rodrigo Constantino

Economista pela PUC com MBA de Finanças pelo IBMEC, trabalhou por vários anos no mercado financeiro. É autor de vários livros, entre eles o best-seller “Esquerda Caviar” e a coletânea “Contra a maré vermelha”. Contribuiu para veículos como Veja.com, jornal O Globo e Gazeta do Povo. Preside o Conselho Deliberativo do Instituto Liberal.

Saiba Mais

<
<

Arquivos

informe seu email e receba nosso conteúdo gratuito